Feeds Ricardo Amorim Facebook Ricardo Amorim Twitter Ricardo Amorim Linkedin Ricardo Amorim Youtube Ricardo Amorim

Cadê o dinheiro de nossos impostos?

postado em Artigos


Revista IstoÉ

03/2014

Por Ricardo Amorim

 
A menos de sete meses das eleições, as campanhas eleitorais estão a pleno vapor, como as imagens desajeitadas dos políticos pulando Carnaval deixaram claro. Passado o reinado de Momo, uma discussão séria dos problemas brasileiros, com propostas e soluções, viria bem a calhar, mas não está acontecendo.
 
O que os presidenciáveis deveriam discutir? Assuntos não faltam. Só no campo econômico, propostas para melhorar muitas áreas em que o Brasil vai mal deveriam abundar – olha o vírus carnavalesco aí de novo.
 
Até quando nós, brasileiros, vamos pagar impostos de países ricos e receber serviços públicos de países pobres? Os impostos aqui são padrão FIFA, já os serviços públicos…
 
Em dois países emergentes a carga tributária é maior do que aqui; em outros 153 países, ela é menor. Dos mais de R$ 5 trilhões em riqueza que o país vai gerar neste ano, quase R$ 2 trilhões serão desviados das famílias  –  onde poderiam alimentar o consumo – e das empresas  – onde poderiam virar investimentos – para o setor público, através de impostos, taxas e contribuições. Onde vai parar todo este dinheiro?
 
Seria na infraestrutura? De acordo com o Índice de Competitividade Global (ICG) do Fórum Econômico Mundial, que compara diversos indicadores entre 148 países, ranqueando-os do melhor ao pior, aparentemente não. Em qualidade de infraestrutura, o Brasil está em 103º em ferrovias, 120º em rodovias, 123º em aeroportos e 131º em portos. Dos quase R$ 2 trilhões que pagaremos em impostos, apenas pouco mais de R$ 100 bilhões serão investidos em infraestrutura. Um valor parecido será desviado por corrupção.
 
Ainda sobra mais de R$ 1,7 trilhão. Vai para a educação? O ICG sugere que não. Poucos vão à escola. O Brasil está em 69º em acesso à educação básica e 85º em acesso à universidade. E quem vai aprende pouco. Estamos em 121º em qualidade de ensino universitário e 129º em qualidade de ensino básico.
 
Neste caso, o dinheiro deve ir para a saúde. Será? Somos o 74º país em mortalidade infantil e o 78º em expectativa de vida.
 
Então, deve estar sendo investido em pesquisa, desenvolvimento, inovação, produtividade e competitividade? Não parece. Estamos em 112º em número de cientistas e engenheiros em relação ao tamanho da população, 136º em qualidade de ensino de matemática e ciências, e 145º em total de exportações em relação ao tamanho da economia.
 
Onde está o dinheiro dos nossos impostos, então? Em parte sendo investido em programas sociais do governo. Em uma parte muito mais significativa, mal gasto ou simplesmente consumido pela própria máquina pública.
 
Pagamos por um dos governos mais caro do mundo, mas recebemos um dos mais ineficientes. Estamos em 124º em crimes e violência, 126º em tarifas de importações, 132º em desperdício de recursos públicos, 133º em desvio de recursos públicos, 138º em impostos sobre trabalho, 139º em custo de processos alfandegários, 144º em números de dias para abrir uma empresa e 147º em custo da regulamentação governamental.
 
Em plena campanha eleitoral, onde estão os projetos para mudarmos radicalmente esta situação? Pelo jeito, no mesmo lugar que os R$ 2 trilhões que pagaremos em impostos neste ano. Deve ser por isso que o Brasil é só o 136º país do mundo em confiança nos políticos.
 
Ricardo Amorim

 

Apresentador do Manhattan Connection da Globonews, colunista da revista IstoÉ, presidente da Ricam Consultoria, único brasileiro entre os melhores e mais importantes palestrantes mundiais segundo o Speakers Corner e economista mais influente do Brasil segundo o Klout.com

 
 





    wellington disse:
    14 de março de 2014 às 15:58

    Ricardo, ler uma coluna dessa dá vontade de ir embora deste país, mas vida que segue. Que classe de políticos esculhambados nós temos.



    Lúcia Carvalho disse:
    14 de março de 2014 às 16:03

    O dinheiro dos nossos impostos está indo para os cofres da UNASUL. O que sobra, financia viagens de férias para políticos vagabundos, aliados desse governo escroque!



    Adriana Santos disse:
    14 de março de 2014 às 16:22

    Olá! Não sei se comento ou desabafo… Sabe aquela afirmação: “de que nada está tão ruim que ainda não possa piorar!” Pois é, apesar de toda esta cifra arrecadada, temos ouvir o nosso ilustríssimo ministro de Minas e Energias dizer: ” a conta da crise energética no final deverá ser paga e não será pelo governo”. Uhuu! Pode parcelar? Aí leio uma pesquisa onde diz que a cada dia as pessoas confiam menos umas nas outras. E afirmo nem participei da pesquisa mas me incluo nela. Não confio num governo que me cobra o ar que respiro e alimenta corruptos e fomenta uma massa cada vez maior “de coitadinhos”. Não confio na pessoa que recebe leite em pó da “mãe nação” e vende para o colega de trabalho. Não confio no sujeito engravatado que anda no carrão mas faz “gato” na tv a cabo. Como também não confio no manifestante que se vende por qualquer “vale coxinha” As vezes penso que logo logo voltaremos a andar de quatro!



    Eduardo Cassiano de Freitas disse:
    14 de março de 2014 às 16:38

    Ricardo Amorim;

    Sendo seu leitor, entendo com clareza o quanto o Brasil está atrasado e inerte para reverter situações que exigem ações urgentes de mudança radical como o enxugamento da máquina pública, investimentos pesado em infraestrutura e melhoria na eficiência dos serviços públicos básicos como saúde, educação, segurança e moradia.

    Infelizmente o país vive uma situação política bipolar dividida entre o PT e o PSDB. Não existe uma discussão séria da oposição nem do governo sobre os temas críticos citados por você e outros importantes especialistas nem a demonstração de que querem mudar o quadro atual.

    Tenho 46 anos e embora o país tenha melhora nas últimas duas décadas, temos que começar esta mudança radical agora, sob pena de piorar o que já temos e perder o que já conquistamos.

    Educação, saúde e segurança estão o caos, mas a máquina pública super inchada e lenta, onde a maioria esmagadora dos membros do legislativo e do executivo se preocupam apenas com seus próprios interesses – principalmente o de se permanecerem nos cargos públicos – não esboçam nenhuma vontade de querer reverter o quadro atual que sinaliza de maneira inconteste que quaisquer mudanças nestes quesitos graves e dos quais o país depende desesperadamente de serem efetivadas para vislumbrar a tão desejada saída dessa situação antagônica de ser uma BELÍNDIA (impostos da Bélgica com serviços da Índia), mas, sinto que poderei viver outros 46 anos e não verei essas mudanças. Que país é esse mesmo? Ah, já sei o país das bolsas: bolsa família, bolsa escola, bolsa gás e também da bolsa roubada. Socorro!!! Acho que vou embora e nem vou precisar apagar a luz, porque o apagão no sistema energético brasileiro se encarregará de fazer. Parabéns pela sua postura e independência.



    José Osvaldo Darcie disse:
    14 de março de 2014 às 16:47

    Os partidos políticos e os seu representantes não tem projeto e compromisso com o país. Todo empenho é destinado à manutenção do poder. Isto é o que lhes interessa. Fruto de um povo desinformado, passivo e resignado. Não vejo mudança neste panorama. Isto só vai mudar quando a população se tornar mais esclarecida e exigente. Há necessidade de uma profunda mudança na vida pública. Será que isto um dia vai acontecer? Acho que não pois todo a dinâmica política caminha no sentido oposto. Educação ruim( mais fácil de manipular cabeças desinformadas), miséria ) mais fácil de comprar votos com assistencialismo, censura( obviamente manter quem é informado de passar adiante a informação), etc
    Desanimador!!



    Eliana disse:
    14 de março de 2014 às 17:06

    É essa pergunta que todos os brasileiros que pagam impostos estão se fazendo, Ricardo. Se pagamos impostos para ter serviços públicos, mas precisamos pagar empresas privadas para ter segurança, saúde e educação com mais qualidade para quê precisamos do governo?



    Daniel disse:
    14 de março de 2014 às 18:38

    É simples. Tirada a parte subtraída para atividades corruptas, vejo que boa parte deste dinheiro sustenta programas governamentais “bolsa-esmola” no qual o Governo incentiva pessoas carentes a se reproduzirem a não trabalharem enquanto nós contribuímos com arrecadações que se superam a cada ano.



    Maria de Fatima Ramos Terra disse:
    14 de março de 2014 às 19:00

    Sempre que possivel vejo Manhattan Connection da Globonews , gosto muito das colocações do
    Ricardo Amorim . Escreve bem , com conteúdo , e tenta esclarecer o nosso povo do imenso desastre que seria a reeleição da Presidenta Dilma , e dos desmandos deste governo



    Valentina disse:
    14 de março de 2014 às 19:54

    Ricardo, cada dia me convenço mais de que estamos no caos, nem é mais na beira dele. Ainda ontem postei na minha página do face o seguinte comentário: “companheiros e companheiras, preparem os bolsos, 2015 será um ano de aperto, toda a festança desse ano com copa, eleição e etc., terá um custo muito alto ao contribuinte já lesado, amassado, estrangulado e ferrado” infelizmente são poucos que estão se dando conta disso, estou muito preocupada com nosso futuro depois de ver seus números pirei…



    Layla Matos disse:
    14 de março de 2014 às 22:14

    É Ricardo parece que estamos muito mais crescentes em analfabetismo politico, do que qualquer outro crescimento,pois afinal ainda somos nos que elegemos nossos gestores.



    Carlos disse:
    16 de março de 2014 às 0:28

    Para mim a maior culpa disso acontecer é da grande maioria da mídia que não faz nada para mudar isso. Falam em alguns poucos momentos sobre isso e não exigem nada e nem estimulam o povo a exigir. Só passa na tv novelas e programas fúteis e só esporadicamente se referem a esse problema, parece que estão satisfeitos ou então estão dominados(comprados) pelos políticos.



    Marco disse:
    16 de março de 2014 às 11:48

    Que tal colocar o Brasil no ranking de pagamento de impostos nominal?
    35% de US$ 11 mil (Brasil) é diferente de 40% de US$ 52 mil (Canadá). Não há como ter um serviço público canadense com uma arrecadação brasileira. Vamos ao menos ser honestos a respeito disso.



    Carlos disse:
    16 de março de 2014 às 18:29

    Tanto sacrifício para nada, sem qualquer perspectiva de mudança o melhora deste pavoroso cenário. Um ABSURDO!!!!



    16 de março de 2014 às 19:30

    Todas essas perguntas necessitam de resposta, mas parece q os possíveis candidatos nas diversas esferas do poder ñ estão interessados em respondê-las, nem propor medidas eficientes p/ o crescimento do país nas mais diversas áreas.



    A.Guilherme disse:
    16 de março de 2014 às 19:56

    Ricardo, sem maiores comentários: SIMPLES E LÚCIDO. Pena que 99,999% de quem vota não lerá as suas palavras e, mesmo o fazendo, não o aceitarão, seja pela visão miope, seja pelo enviesamento politico.



    A.Guilherme disse:
    16 de março de 2014 às 19:58

    Ricardo, sem maiores comentários: SIMPLES E LÚCIDO. Pena que 99,999% de quem vota não lerá as suas palavras e, mesmo o fazendo, não as aceitará, seja pela visão miope, seja pelo enviesamento político.



    Natil Bado disse:
    17 de março de 2014 às 9:02

    Ricardo Amorim,obrigado por me enviar essa bela materia.
    Concordo com tudo o que você coloca,lamento muito que a maioria do nosso povo,não veja isso,eu já não acredito mais em nossa classe politica,depois que criaram as famosas coigações,não existe mais oposição,só negociação de cargos.
    Não vejo outra alternativa,se não votar em branco,pois não tem um candidato,ou politico, que mereça o meu voto.

    Natil Bado.



    GILSON PAULA LOPES DE SOUZA disse:
    17 de março de 2014 às 9:47

    Caro Amorim, bom dia!

    Estou pronto para votar em quem você indicar, assuma uma indicação ou a própria candidatura. Vamos juntos partir para a ação e transformar, atuando na política para um futuro melhor.



    17 de março de 2014 às 9:52

    Ricardo. Parabéns pela construção de seu artigo que mostra uma situação quase que insustentável de um país que teve tudo para alcançar uma posição de destaque no cenário internacional. Perdemos o bonde da história e para mudar tudo isso só trocando o bonde antes que descarrilhe.



    Leda S M Pinheiro . disse:
    17 de março de 2014 às 13:01

    Somente com altos investimentos na Educação,em pesquisas, na infraestrutura é que poderemos começar alguma mudança nas conhecidas mentalidades historicamente aristocráticas, não só dos políticos brasileiros



    17 de março de 2014 às 13:54

    Olá Ricardo, são poucas as pessoas que se interessam em interpretar os números brasileiros vislumbrando o futuro. Quem elege, infelizmente, não esta preocupado com isso. Para eles o que interessa são os benefícios caridade que recebem do governo. Somos um País capitalista, nosso regime político, o presidencialismo, é um regime de propriedade de poder, os presidentes acabam virando ditadores camuflados, governando por medidas provisórias, o que acaba propiciando a completa manipulação de nossa democracia. Este é o resultado de nosso esquema institucional, tribunais omissos com as grandes causas brasileiras e um Congresso Nacional conivente com os governantes.Não há oposição. Forte abraço – Márcio Barbado



    17 de março de 2014 às 14:43

    Ainda Ricado, é preciso reconstruir a ordem social.



    Rafael Gamboa disse:
    17 de março de 2014 às 15:46

    Até quando Sr. Presidente, até quando brasileiros, até quando vamos continuar pensando que todo se resolve com futebol?



    Franklin Gindler disse:
    17 de março de 2014 às 16:18

    Assisti algumas palestras do Ricardo quando ele estava voltando de NY que se mostrava muito otimista com relação ao Brasil, comparado com outros países, inclusive e principalmente Estados Unidos e Europa.



    Oscar Lorenzo disse:
    17 de março de 2014 às 18:14

    Sugiro que antes de se informar ranking de posições do Brasil em diferentes quesitos, se divulgue e se incentive o que o governo está fazendo de bom, desde 2003 o país está vivendo uma outra realidade. Como todas as instituições democráticas estão sendo respeitadas, ou seja, aqui não há nenhum tipo de ditadura, então tudo demora muito mais e tudo sai mais caro. . . a nossa máquina pública é inflada, demorada e por conseguinte muito cara . . . nossa politica está pautada (leia-se contaminada) por políticos oportunistas, que buscam beneficio próprio por meio da chantagem e de achaque ao governo central, tudo de costas ao povo que os escolheu. Apesar de tudo isso nosso cenário econômico e de perspectiva futura é favorável . . .



    17 de março de 2014 às 21:39

    Ola Ricardo, bem não vejo que o proximo administrador tenha interesse nessas situações. A sequencia deve seguir, conforme as partes se posicionam. Não vejo credibilidade nos políticos.



    benjamin disse:
    18 de março de 2014 às 17:56

    Ricardo,
    Acho que ficaria mais apropriado em relação a cada grupo de despesas você incluir a informação de quanto foi aplicado do orçamento e não apenas a colocação crítica de que o resultado foi ruim.
    Isto destacaria mais os itens onde a aplicação foi mais deficiente.



    Luciano Medrado disse:
    19 de março de 2014 às 0:26

    É bom constar que ainda temos célebros com reflexões maduras e
    desapaixonadas.Onde estão nossos líderes.
    Como podemos deixar que o Brasil caminhe para o caos. Vamos perder rapidamente o que duramente foi conquistado: estabilidade econômica,credibilidade internacional, alegria do povo



    Steverson Silva disse:
    19 de março de 2014 às 23:23

    Simples. É um sistema piramidal. A ponta governo. No meio os palhaços que sustentam o governo. A base, a populaça que é sustentada pelo governo e o mantém ao mesmo tempo.



    Carlos Schlittler disse:
    20 de março de 2014 às 16:45

    Ricardo, boa tarde
    Adorei o seu artigo:: Cadê o dinheiro de nossos impostos?
    Sobre uma das perguntas dentro do seu artigo está: “O que os presidenciáveis deveriam discutir?”
    Todos sabemos o que os nossos presidenciáveis devem discutir e concordo com as suas colocações. O problema é que o candidato que tomar a frente para discutir sobre fim do bolsa família, eliminar os gastos excessivos do senado e câmara de deputados, acabar com as mordomias nos Ministérios, sobre uma redução de impostos, etc…
    NUNCA VAI SE ELEGER. A máquina do governo vai trabalhar contra.
    Fico sem palavras para expressar a minha indignação sobre os nossos governantes. Só não podemos ficar sem esperança.



    20 de março de 2014 às 19:26

    Um dos estopins do movimento conhecido como Inconfidência Mineira, que tem Tiradentes como principal ícone, ocorreu devido à forte pressão exercida pela coroa portuguesa, que, entre outras arbitrariedades, instituiu a cobrança do QUINTO, ou seja, tributo de 20 % sobre a produção do ouro.
    Atribui-se a expressão QUINTO DOS INFERNOS a essa cobrança absurda.

    Atualmente a cobrança de tributos é praticamente 2/5 na média, mas superior a isso, se acrescermos os demais custos para assegurar os serviços que o estado não proporciona (educação, saúde, segurança, etc).
    E … por mais absurdo que possa parecer, não estamos chocados com isso.
    Parabéns pelo seu artigo Ricardo, que toca numa ferida bem conhecida, mas que até hoje não gerou em cada um de nós a indignação suficiente para buscar uma forma de “mudar tudo isso que está aí”, como diria um político bem conhecido no qual foram depositadas as esperanças de trabalhadores, intelectuais e população mais carente.
    Diz a lenda que o voto seria esse caminho, mas talvez seja apenas o primeiro passo, e ainda assim, se houver candidatos competentes e comprometidos com os valores e anseios dessa imensa maioria do povo brasileiro que é de boa índole, mas como uma folha ao vento político, sendo facilmente manipulada pelos mais espertos.
    Parecemos aquele sapo que está numa panela de água que é esquentada lentamente. Vai morrer porque não percebe a temperatura que aumenta. Se estivesse fora e fosse jogado na panela com a água quente, saltaria na hora, mas como está dentro vai se adaptando à condição desconfortável, até não aguentar mais.



    Patricia disse:
    22 de março de 2014 às 12:01

    Vale sempre a pena ler, seus cometários, nos obriga a refletir e agir.



    Mario Branco disse:
    22 de março de 2014 às 14:16

    Mas que conversa é essa? o problema estrutural é um só. A DÍVIDA PÚBLICA ! E DISSO NINGUÉM FALA ! ESSE ANO O BRASIL VAI PAGAR UM (1) TRILHÃO DE REAIS SÓ DE JUROS DA DÍVIDA ! É, 1 TRILHÃO ! Os 30 bilhões pra copa não é nada ! Os 30 bilhões para Bolsa Família não é nada perto dos 1 Trilhão que é quase a metade de toda a arrecadação do governo Federal ! Tudo aquilo que se disser é papo furado !



    Fabio Goncalves disse:
    25 de março de 2014 às 13:49

    Estou ficando um pouco cansado de ouvir muita gente reclamar, reclamar e daí, isto muda alguma situação? Eu mesmo, tento policiar-me para não cair neste círculo vicioso, pois isto deprimi! Estou também inconformado com toda esta bagunça que está o nosso país. Ao mesmo tempo, fico perguntando-me… com tanta gente inteligente que temos aqui, entre professores, mestres, empresários, empreendedores, engenheiros, advogados, médicos, etc, etc… por que não podemos mudar este país? Eu mesmo preciso mudar e me mexer para que isto aconteça. Ainda não sei como, mas não quero ficar apenas reclamando e concordando com tantas análises sobre o caos que vivemos! Se alguém tiver alguma sugestão de por onde começar, avise-me! Vamos mudar este país para melhor! Não somos um bando de burros! Eu quero um país melhor! Contem comigo!



    Umdoistres de Oliveira disse:
    25 de março de 2014 às 20:35

    Bando de ladroes !
    Enquanto o povo se conportar como OVELHAS os lobos farão a festa !!!
    Como fazem ate hoje !



    Alberto Antoni disse:
    26 de março de 2014 às 23:43

    Boa noite, deixo registrado minha opinião a repeito de nosso país. Somos um povo formado por multi nações, não temos passado nem memórias guardadas, nossa base sempre foi construída através de coligações políticas empresariais voltadas ao LOB. Para haver uma mudança é necessário que a população queira, neste momento o Brasil dorme com um sonho de copa o qual jamais se levantará, pois por pior que seja situação o governo manipula a massa.



    Ajax Machado disse:
    28 de março de 2014 às 20:54

    A questão é que a maioria dos brasileiros acha que o governo deve ser o provedor. Não se dão conta que quem paga a conta são eles mesmos. A verdade é que nossos governantes , com raras exceções, não são gestores e tampouco estadistas. São políticos de olho na próxima eleição. Sabem direitinho qual o pensamento prevalente do brasileiro. Então da-lhe populismo, e incha-se o estado.Sou totalmente contra o estado brasileiro como gestor. Sei que isso nunca terá conserto. Para mim, quanto menor o estado , melhor.



    Nassif disse:
    30 de março de 2014 às 8:57

    Matéria objetiva,fundamentada por dados apostos de entidades imparciais, sem qualquer ligação com esquerda ou direita.Quando leio ou ouço que o país melhorou, pergunto: Em que quesitos o nosso amado Brasil melhorou pensando nação, no todo. Ao meu ver o assistencialismo está servindo para um atraso sem qualquer precedente anterior, ou seja, uma base eleitoral para o governo se manter no poder e o crescimento substancial do analfabetismo funcional.Dizer que o governo hoje é achacado pelo legislativo, me pergunto: Quem achaca quem? Para aprovar tudo o que interessa, o executivo coopta na câmara baixa e alta políticos a fim votarem as matérias a seu favor. Quando falamos em democracia plena, me pergunto: Onde? Vejo muitos amedrontados de expor suas opiniões a respeito do que acontece nesse país,vejo hoje um Supremo parcial,marco cívil da internet,comissões parciais, estabelecidas para analisar projetos projetos populistas, governo se abstendo de condenar governantes da Venezuela,Russia,Síria,etc..



    2 de abril de 2014 às 8:18

    Prezado Ricardo Amorim;
    Nosso país é riquíssimo, eu não consigo entender que tantos , impostos não contribuam com uma infra estrutura das melhores do mundo.Educação e saúde( se usassem o dinheiro nestas áreas)Para exemplificar comprei um perfume pelo Facebook da empresa Pank.Ela me informou que o produto não cobrava fretes.Resumo, passaram 3 meses, somente agora adquiri o produto, onde tive que pagar R$56,76. O produto veio de Hong Kong.Em cima da caixinha do perfume lia-se o seguinte:
    ATENÇAO
    Excepcionalmente este objeto não foi tributado pela Receita Estadual, apenas pela Receita Federal.Caso haja pedido de reavaliação, poderá ainda sofrer tributação”.
    Alguma coisa está errada.
    Voce mesmo deveria tocar a economia no nosso Brasil, eu confio e acredito que estaríamos em boas mãos.Honestidade e sabedoria.
    Saudações
    Solange Griebeler



    Luiz Luccas disse:
    2 de abril de 2014 às 8:22

    A única palavra (ou conceito econômico) que explica o nosso subdesenvolvimento (e o de outros países) é PRODUTIVIDADE. Não há crescimento econômico sustentável sem aumento de produtividade.Se querermos um país mais justo e de melhor qualidade de vida, o governo (nos 3 níveis) deve não só remodelar integralmente seus processos e estruturas, mas incutir na sociedade a ambição de amplia-la a produtividade. O problema não está só nos governos. Está também e principalmente nas pequenas e médias empresas.



    brigido disse:
    6 de abril de 2014 às 10:40

    Cara, muito bom a materia,objetiva,clara,para entender em que situacao estamos financeiramente, te adicionei atravez de tejon



    Marcos Monção disse:
    6 de abril de 2014 às 12:56

    O problema é um só: falta de investimento na educação. Só formando uma massa crítica com qualidade, que teremos consciência de angariarmos forças para mudar essa situação que existe desde o tempo colonial. Infelizmente, não há projeto político e social que vislumbro, pra que mude essa situação.



    Norton Gilberto Prade disse:
    6 de abril de 2014 às 21:11

    Buenas Ricardo:
    Eu penso que a roda da economia, onde produção, consumo e poupança que azeitavam as engrenagens econômicas e faz com que o processo funcione, foi quebrado por governos corruptos e incompetentes. Deram margem ao lucro fácil e de Bolsa de Valores (jogatina oficializada) que atrai o investidor sem conhecer os riscos da moeda que ali aplica. Estes são alguns dos problemas que adquirimos de países também corruptos e de também governos corruptos.



    delaorden disse:
    8 de abril de 2014 às 9:52

    Nosso problema é genético. Criticamos, com razão, mas não nos movemos. Soluções há. Uma delas seria não esperar pelo governo. Fazer cada uma sua parte, se preparando, estudando. As pessoas precisam entender que o sistema educacional é nulo e que devem, por iniciativa própria, procurar o conhecimento. Herdamos o que deixaram de pior em nossa colonização. O resultado é um povo belo de genética pobre.



    Pericles Sevegnani disse:
    8 de abril de 2014 às 10:01

    Ricardo, otimo texto, mas:
    1. O Brasil nao arrecada RS 2 trilhoes em impostos, parte disso é sonegado e outra parte é propaganda.
    2. Pergunte ao FMI onde este dinheiro esta indo…
    Abcs.



    Ângelo P. C. Andrade disse:
    9 de abril de 2014 às 19:38

    Ricardo
    Boa noite!
    Muito bom seu artigo, mas a resposta é fácil; somos roubados pelo Estado desde sempre, que não pensa na Nação.
    Consequência?
    Somos um povo ignorante, corrupto, vagabundo, covarde, uma “Manada” de idiotas.
    Solução?
    Não existe, quem sabe Cumbica.
    Abçs



    Luiz Pereira disse:
    9 de abril de 2014 às 22:38

    Não sei porque a mídia não cita quase cinquenta por cento do orçamento federal destina-se ao serviço da dívida pública. Este dinheiro sempre “chega” ao bolso dos credores.



    Leandro Costa dos Anjos disse:
    11 de abril de 2014 às 8:40

    O que posso dizer diante de tudo o que já foi dito, sinto apenas que a clareza destas palavras são límpidas como aguá cristalina, mas não entendo como a grande maioria dos brasileiros não enxergam, ou apenas se enganam e se vendem por uma cesta básica ou um recurso de esmola (bolsa alguma coisa), estamos a merce de nossos próprios erros, sempre vimos em a nossa frente um turbilhão de promessas que nunca se cumpri, hoje não existe nem ao menos as promessas, somos obrigados a conviver com a falsidade e falta de vergonha na cara dos nossos políticos, e como acabar com tudo isso, existe uma solação, mas nosso povo não é unido em uma causa ampla e para benefício de todos, somo apenas egoístas esperando por um benefício próprio, então para onde vai nosso dinheiro? para o bolso e benefício daqueles que votamos para que cuidem de nosso país…



    Maycon Brito disse:
    13 de abril de 2014 às 22:25

    Ricardo. Espetacular este seu artigo. Ele é sólido e apresenta a situação presente do Brasil a partir de números sólidos. Obrigado.



    Julio Cesar de Oliveira Lima disse:
    20 de abril de 2014 às 12:17

    Onde estão as câmeras? só pode ser pegadinha, pois é gente, essa já é velha, mais ainda engana muitos O****** e I******, que vivem nessa escravidão disfarçada de democracia.quimeras, fantasias, ficções: isto sim, são devaneios de uma alma doentia. tipo jornal de carnificina após desenho animado sabe, nos faz crescer alheio a essa barbárie…

    Òtimo artigo Ricardo



    paulo disse:
    20 de abril de 2014 às 17:32

    Quer uma dica, Ricardo Amorim, aponte o dedo também para o Judiciário. Advogado há 20 anos e sei, por conhecimento de causa, que para nosso judiciário ser péssimo deveria melhorar, e muito. O problema é que se o Poder que “manda prender e manda soltar”, o Poder que diz “o que é de quem” não funciona; então, tenha certeza, nada mais funciona. Ao longo desses quase 20 anos venho “colecionando” erros judiciários, são decisões grotescas que poderiam encher um livro de umas 1.000 páginas.



    Edson Teófilo disse:
    20 de abril de 2014 às 17:41

    O que mais me intriga, é saber que um pouco mais de uma dúzia de amigos admiradores de partidos políticos (situação e oposição) são capazes de ler este artigo anexo e simplesmente silenciarem e alguns até afirmarem que o mesmo não merece credibilidade. Será que todos estes dados são falsos? Se não são falsos o que leva a sociedade não querer enxergá-los? Mais intrigante do que ter que conviver com maus gestores públicos é conviver com cidadãos alienados, cegos politicamente ao ponto de reconduzir funestos políticos e esquemas políticos ao poder por várias legislaturas.



    Maurício Gomm Santos disse:
    20 de abril de 2014 às 18:54

    Em lugar algum do mundo, as pessoas pagam imposto com prazer. O consolo de quem paga é ver a contra-partida. O “socialismo” escandinavo, quem sabe,
    e o maior e melhor exemplo de sinergia entre o privado (contribuinte) e o publico. Aqui nos EUA, há uma consciência grande sobre o dinheiro dos tax payers. No Brasil, desde a época das capitanias hereditárias, tudo e feito a servico do rei para o rei e pelo rei. O reinado do PT veio (com a bandeira da ética) viu (a anti-ética e as bandalheiras) e gostou e agora quer se perpetuar. Será que a oposição que se avoluma quer mesmo consertar o Brasil ou quer também recuperar o reinado perdido que tão bem faz a seus amigos e tão mal faz ao Brasil? Espero que seja mesmo um desejo de recolocar o pais no trilho. La recherche du temps perdu.
    Mauricio Gomm
    Miami



    Oto Muller Alexandre disse:
    20 de abril de 2014 às 20:20

    Diante de informações tão críticas, é muito difícil comentar alguma coisa sem estar apenas externando lamentações. Gostaria que o nosso Brasil mudasse, se tornasse um país melhor, mas ao mesmo tempo me sinto desesperançoso em virtude do nível de nossos políticos.
    Não sei se é bem uma solução, mas acredito que no dia que o titulo de eleitor for emitido apenas para quem tiver concluído o ensino médio, poderemos contar com um eleitor mais crítico e menos influenciado, mais capaz de fazer suas escolhas consiente ao invés de pensar com a barriga.
    Talvez assim, possamos ter políticos capazes de mudar esse quadro.



    Constantino Lagoa disse:
    21 de abril de 2014 às 9:57

    Somos assim mas todos parecem querer atribuir ao governo atual todas as mazelas que construímos durante séculos. Há 12 anos atrás ocupavamos os primeiros lugares no ranking mundial. Há 50 anos passados tínhamos uma das melhores e modernas malhas ferroviárias do mundo. Ora bolas!



    Cláudio José Dos Anjos Borges disse:
    21 de abril de 2014 às 10:38

    As únicas palavras que realmente tenho para escrever é: ACORDA BRASIL.



    RAUL GUSMAO JR. disse:
    21 de abril de 2014 às 17:34

    NÃO É DE SE ADMIRAR QUE ATÉ HOJE CONTINUE AS BANDALHEIRAS E AS FALCATRUAS QUE IMPERAM NESTE PAÍS. SE VOLTARMOS AOS IDOS DO ANO DE 2008, E PEGARMOS POR INFELIZ COINCIDÊNCIA A REVISTA ISTO É 2014, DE JUNHO DAQUELE ANO, NA PÁGINA 29, JÁ VERÍAMOS O QUE IRIA ACONTECER HOJE. COM A FELIZ REPORTAGEM “PROBLEMAS NO HORIZONTE”,ONDE VÁRIAS DENUNCIAS SÃO FEITAS E NÃO FORAM RESPONDIDA PELA ENTÃO MINISTRA DA CASA CIVIL DO GOVERNO LULA. E CONTINUAM SEM RESPOSTA ATÉ HOJE.
    SERÁ QUE ALGUM DIA TEREMOS RESPOSTAS PARA ESTAS E OUTRAS DENUNCIAS COMO A DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO, QUE EXISTEM TRECHOS TOTALMENTE ABANDONADOS E DESTRUÍDOS QUE IRÃO DEMANDAR NOVAS DESPESAS?.
    INFELIZMENTE ESTAMOS NAS MÃOS DE GOVERNOS INCOMPETENTES QUE SÓ SE LOCUPLETAM COM OS NOSSOS IMPOSTOS.
    SEI QUE NÃO ADIANTA NADA EU FALAR, MAIS ESPERO QUE ALGUÉM NESTE PAÍS COMECE A FAZER ALGO, POIS JÁ SOU VELHO DEMAIS.



    Rosa oliveira disse:
    21 de abril de 2014 às 22:25

    Eu acho que pessoas inteligentes, bem informadas e formadoras de opinião, como vc Ricardo, deveriam ser mais atuantes no campo político. Não digo serem políticos, mas se posicionarem no campo político.
    Sou brasileira e moro nos EUA e aqui observo que jornalistas, intelectuais, economistas, comunicadores de várias formações acadêmicas se posicionam mais publicamente .
    Não estou criticando vc e sim esta ” cultura ” brasileira de que profissional não assume posição política.
    Acho que deveriam assumir sim e ajudar o povo a entender melhor!
    Acho que todos temos que participar da campanha política do candidato ou candidata que acreditamos ser o melhor. Acho que faz parte de uma sociedade politizada
    O Brasil não é um pais politizado, veja pesquisa que mostra que os candidatos Aecio Neves e Eduardo Campos nem são conhecidos!!
    Gosto muito de seus comentários e colocações , Ricardo. Reconheço que as vezes o acho um pouco prepotente mas sempre inteligente e bem embasado.
    Enfim, fica aqui o meu recado!!! Vamos todos fazer campanha por aquele, ou aquela ( no meu caso aquele)
    Que acreditamos que possa ser a melhor escolha para vir a presidir o Brasil nos próximos anos.
    Obrigada.



    jane disse:
    22 de abril de 2014 às 9:10

    Excelente texto, simples, direto, pleno de informações como a última: 136º lugar do mundo em confiança nos políticos. Por que então votamos? Por que não ANULAR o voto?



    Ronaldo Araujo Lima disse:
    23 de abril de 2014 às 12:34

    Parabens, infelizmente anos e anos de recorde de arregadação, por úlitmo R$1,3 trilhão, e não vemos melhorias em nada, somente o desvio de verbas e aparelhamento do estado…o pais virou uma zona. Prezado RICARDO, vejo seus comentários no MANHATAN CONECTION, todos são dez….



    Marcos disse:
    24 de abril de 2014 às 20:09

    Parabéns pelo artigo! Vamos aproveitar para comentar enquanto ainda é permitido se manifestar livremente sobre diferentes assuntos na rede brasileira.



    Manoel Bernardes Neto disse:
    2 de maio de 2014 às 21:14

    Como sempre muito preciso .. Ricardo , infelizmente temos os piores políticos do universo .. Poderia escrever por horas … Entretanto , julgo necessário afirmar que precisamos de uma renovação total ….

    Nosso país não merece esta classe política que não nos representa ….

    Vamos votar e mudar esta Nação !!!!!

    Viva o Brasil !!!



    Marisa Cruz disse:
    5 de maio de 2014 às 18:34

    Como é possível ter programa de governo se todos os dados financeiros apresentados por este DesGoverno estão maquiados? Será que dá para saber qual realmente é o tamanho do Rombo que espera o próximo Governante que não será Dilma? Lembro de qdo Covas venceu eleição logo depois de 8 Anos de Quércia/Fleury no Estado de São Paulo. Foram 2 anos só pagando contas sem sobrar nada para investimentos. O começo de qq governante depois do PT é cortar Ministérios, demitir os 30 mil *Aspones* cumpanheiro e uma Auditoria Internacional nos 3 Poderes apurando todos os desvios e Bloqueando os Bens dos Envolvidos no ato já que temos uma Justiça Lerda, Despreocupada e Anti-Patriota.



    Walfredo Rodriguez Neto disse:
    16 de maio de 2014 às 9:50

    Bem, 05 de outubro está aí à porta. E não tem outra solução (ainda que alguns sonhem com a perfeição): a mudança junto com Minas.



    Hudson disse:
    17 de maio de 2014 às 11:18

    Que tal começar respondendo que metade – sim 50% – do orçamento do governo federal é para pagar juros e amortização da dívida pública? Isto é, para sustentar rentistas, banqueiros, empresários e outros que vivem às custas de emprestar dinheiro para o governo? Já seria um bom começo para responder sua pergunta.



    VITOR COMUNIAN disse:
    26 de maio de 2014 às 22:58

    A ÚNICA coisa que os políticos precisam é ter vergonha na cara.
    Nada de CPI, da PETROBRAS, a Polícia Federal já descobriu tudo é só o Ministério Público Federal, apresentar a denuncia e mandar essa corja para cadeia.



    Clarisse Maurício de Andrade disse:
    31 de maio de 2014 às 21:49

    Res: Parece-me que pode ser o público e o privado, dependendo da matriz e ou grade no sistema, por tempo determinado ou prolongado dependendo do nascimento disciplinar…



    2 de junho de 2014 às 7:58

    Ricardo, os apontamentos são cruéis, o descaso está massacrando a esperança. Concordo com tristeza nos seus apontamentos. Só não vejo a mídia se calar e vir as ruas para começar a fazer mudança.
    Os movimentos só não ganharam força de mudança, pois faltaram os SENHORES do conhecimento.
    A mudança só virá quando pararmos de anunciar apontamentos e somarmos a pequenas idéias que apontam grandes transformações.
    QUE BANDEIRA EU QUERO HOJE LEVANTAR . Tenha certeza pode até ser verde e amarela . mas certamente não está relacionada a ORDEM E PROGRESSO … isso não deu certo . hoje somos um País com abundantes potencialidades. apesar dos índices serem baixos . a qualidade de conhecimento que temos já adquirido é rica e poderosa para mudar . TEM MUITO BRASILEIRO mudando a realidade da tecnologia, do designer, da ciência, da literatura e de tanto mais … TEMOS QUE MUDAR é a BANDEIRA, dar novo motivo de mudança real/simbolico. separar os velhos generais e em breve estaremos por ai de corpo pintado e arco e flechas nas mãos …

    só mais um língua solta

    ate



    Fernando Carrilho disse:
    5 de junho de 2014 às 23:49

    Ricardo,

    Ler seu blog da uma sensação de impotência, injúria e lamentação. Temos de nos conscientizar que vivemos uma democracia. A maioria decide. Em tese, se a maioria esta “correta”, eu, que não votei no Dilma, achei que estava errado. Como posso querer ser superior a vontade da grande maioria? Acontece, que a grande maioria é ignorante, e, o governo PT, “alimenta” a ignorância não provendo subsídios para a educação, justamente para privar a “maioria” que elege com ignorância partidos e pessoas ligados ao PT. Tenha certeza que se a maioria tivesse um mínimo de instrução para ler jornais, revistas, blogs como o seu, eu permaneceria acredito que mesmo que a escolha da maioria fosse oposta a minha, eu deveria estar errado. Mas, como sabemos que o governo alimenta a ignorância não dando educação, dando por consequência subsídio para comprar voto com uma “dentadura”, logo, não podemos dizer que vivemos um regime democrático. A desilusão é grande e de difícil solução. Como um outro colega aqui mencionou, nosso grande problema hoje é permanecer nesse lugar caótico que é hoje o Brasil.



    fabio disse:
    7 de junho de 2014 às 10:34

    Ricardo Amorim, presidente já!!!



    Cassio Stein disse:
    8 de junho de 2014 às 12:46

    Quase METADE do dinheiro dos impostos vai para pagar juros e amortizações de uma dívida pública irregular, conforme foi apurado na CPI da Dívida, feita em 2010, e que NÃO SAIU NA MÍDIA.



    Paulo Dalsasso disse:
    26 de junho de 2014 às 15:19

    Sem palavras, até quando seremos roubados desse jeito!! Votar certo até é o caminho mas precisamos de justiça, e justiça é uma pena maior e aplicada correta nos corruptos, enquanto isso, vamos ler palavras corretas e bem ditas, porém que nos deixa vontade chorar e jogar uma bomba em Brasília.



    GV disse:
    27 de junho de 2014 às 17:48

    Ricardo,
    concordo plenamente com seu artigo e sinto mais uma vez vergonha de dizer que sou brasileiro e que nossos políticos levam o país à essa situação.
    Porém gostaria de levantar um ponto que mesmo em décadas ouvindo as reclamações do tipo do seu artigo escuto muito pouco. E esse ponto é o da responsabilidade do povo… Sim, digo isso pois ha muitos anos já vivo fora do Brasil e o que mais me revolta é a facilidade que o brasileiro teen em aceitar e INCENTIVAR a corrupção! E não estou falando da corrupção dos políticos, mas sim da corrupção cotidiana. A do dia a dia. O que mais escuto são brasileiros a minha volta contando com orgulho, se vangloriando de vantagens que conseguiram tirar acima de outros,



    GV disse:
    27 de junho de 2014 às 18:01

    De como eles são “malandros” e espertos…
    Um exemplo besta, mas que pra mim mostra essa atitude do brasileiro: muitas vezes quando saio aqui no Brasil, vejo pessoas bebendo apesar de estarem dirigindo, e olhando no celular, nos apps ou conversando com seus amigos, pra ver onde tem controle da polícia para evitarem tais ruas, avenidas. E essa atitude é completamente aceita por todos seus colegas, amigos do infrator. Onde eu moro, se alguém bebe e seus colegas sabem que essa pessoa esta motorizada, ele é excluído do grupo sem a mínima sombra de dúvida, pois tal atitude é considerada SOCIALMENTE INACEITÁVEL!!
    Agora todos sabemos que esse não é o caso no Brasil. Na minha opinião esse país nunca vai mudar enquanto as pessoas não entenderem que é responsabilidade de TODOS manter a ordem, e não só dos políticos. Afinal, os políticos não nasceram políticos, mas assim brasileiros. E moral não se perde…



    GV disse:
    27 de junho de 2014 às 18:10

    Gostaria de ver mais artigos sobre esse assunto pra ver se é possível aumentar a consciência popular pra um aspecto que eu acho tem o potencial de mudar o nosso país. O Brasil tem tudo pra ser o melhor lugar do mundo pra se viver, basta melhorar a corrupção e levar todo esse dinheiro que geramos possa seus devidos recipientes…



    Andre disse:
    9 de julho de 2014 às 16:00

    O dinheiro vai p/ bolso do político. Enquanto isso, a saúde, educação, transporte e tudo de mais básico à qualquer cidadão ficam nessa situação crítica.

    O Brasil tem um dos piores retornos sobre o imposto pago.



    martha cannon disse:
    11 de julho de 2014 às 22:27

    Ricardo voce apresentou dados assustadores sobre a condicao do Pais.O que mais lamento é a dissolucao do nosso dinheiro suado pagando impostos exorbitantes e o sumico destes sem retorno nenhum à classe trabalhadora.Mas como a esperanca sobrevive mesmo debaixo de varas, espero que a resposta seja dada nas proximas eleicoes Assim espero.



    martha cannon disse:
    11 de julho de 2014 às 22:29

    Ricardo quero parabeniza-lo pelo excente e esclarecedor artigo acima.



    Gilberto disse:
    23 de julho de 2014 às 0:13

    60% vão pra folha de pagamento, pensões e INSS. O restante pra administração, passando por desvios, projetos mal administrados e mal concebidos, e simplesmente pra um funcionalismo público incompetente. Ninguém tem peito de mexer na Constituição e acabar com o “direito adquirido,” “paridades,” “efeito cascata,” “cargos comissionados,” e limitar as pensões do funcionalismo e acabar com pensão de viúva e filhos. Isso NUNCA vai acontecer. Mesmo que acabem com a corrupção (que é ironicamente uma parte pequena do que é arrecadado), e elejamos apenas políticos super honestos e brilhantes administradores, NÃO DÁ pra administrar com 40% do que se arrecada. O Brasil cobra muito, mas só um pouquinho acima dos países mais ricos que ele. 29,77% do PIB deles em média, contra 33,56% do nosso PIB. A carga tributária da Alemanha é bem maior que a nossa. É de 36,7% do PIB. O problema não é a arrecadação, como alardeiam e sim PRA ONDE ELA VAI!! Mesmo que a corrupção leve todos os 40% restantes, ainda é MENOS que o que se gasta com a FOLHA…



    Elon disse:
    4 de agosto de 2014 às 22:05

    Prezado articulista
    cerca de 40% do orçamento da União vai pra pagar os juros da divuda pública (da União estados e municípios)
    Veja https://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&cd=14&ved=0CA8QFjADOAo&url=http%3A%2F%2Fwww.ihu.unisinos.br%2Fnoticias%2F517281-divida-publica-consome-metade-do-orcamento&ei=TC3gU9inGsO0yATIi4C4BQ&usg=AFQjCNFUZGUxGALiBQY4NBiwF0yrAao-wA&sig2=xUSpnPWWGnkuoc8TUpuYQg
    Att



    andrea disse:
    7 de agosto de 2014 às 15:37

    Esqueceu de mencionar que vai tbm para o bolso dos bilionários detentores da dívida pública, com os juros mais extorsivos desse mundo.Agiotagem escancarada.
    Assim está completo o quadro da extorsão da arrecadação.Muito bom parabéns !



    18 de agosto de 2014 às 14:44

    Tirando a parte relativa à corrupção, que pode ir para fora do País, os 1,7 tri acabam , bem ou mal, virando consumo. Seja pelos salários e aposentadorias, pelas compras dos governos. Mesmo os juros da dívida acabam “virando” conse o que umo/ investimento. Acho que deve ser questionada é a qualidade do uso desses impostos.



    Gustavo Teles disse:
    18 de agosto de 2014 às 23:28

    O dinheiro dos nossos impostos está pagando os juros da dívida pública, que cresceu vertiginosamente em relação ao PIB no governo de FHC. A máquina pública e até mesmo a corrupção política não são nada diante da corrupção da iniciativa privada na figura dos “banqueiros”, “rentistas” e “investidores”.



    Daniel disse:
    22 de agosto de 2014 às 15:13

    Se a carga tributária alta ainda fosse revertida em favor da população com bons serviços na educação, saúde e outros, ainda seria justificável, mas em um país onde temos que pagar para ter as coisas de qualidade como acesso a saúde e ensino de qualidade, isto é inaceitável..



    Sergio disse:
    22 de agosto de 2014 às 22:56

    Diminua impostos diminuindo o consumo, coloque energia solar e lampadas fluorescentes, use maquina de lavar com abastecimento pela frente(lava e seca) e máquina de lavar louças, ( economizam, luz, água e tempo), colete água da chuva para lavar calçadas, regar plantas, dar descarga em wc. Use carro a GNV ( gas natural veicular).



    Israel disse:
    5 de setembro de 2014 às 10:51

    Tanto dinheiro investido em eventos internacionais, tantos impostos pagos, e não vemos uma mudança sequer em qualquer área do país… Lamentável…



    11 de setembro de 2014 às 19:16

    Muito bom Ricardo.
    as vezes eu me pergunto: o que tem na cabeça dos políticos? porque eu não consigo entender, eu acho que nem Freud consegue entender.



    Joao Miguel disse:
    12 de setembro de 2014 às 19:20

    O Brasil tem um dos piores retornos sobre o imposto pago
    O dinheiro vai p/ bolso do político. Enquanto isso, a saúde, educação, transporte e tudo de mais básico à qualquer cidadão ficam nessa situação crítica.



    Luiz disse:
    18 de setembro de 2014 às 23:31

    E o pior é agora em tempo de eleições…As vezes me pergunto quão grande é o rombo causado pela corrupção…acho q nós ainda subestimamos esse valor…



    Rena disse:
    19 de setembro de 2014 às 12:14

    O Brasil é o 1o. em cobrança de impostos.
    Somos os que mais pagamos impostos no mundo.
    Mas não temos retorno nenhum.
    Precisamos principalmente de saúde e educação.



    flavia disse:
    22 de setembro de 2014 às 1:45

    ta guardado Ricardinho , no bolso desses políticos corruptos!



    23 de setembro de 2014 às 13:26

    Somos exatamente a cópia fiel do começo desse país, em 1808. Relegado à principal colônia de exploração da Coroa Portuguesa, o Brasil foi promovido à sede do Reino Unido de Portugal e Algarve. Depois, vendia títulos de nobreza para custear sua corte cara e expansiva. E nos gestos de beija-mão só entravam os que pagavam impostos. Naquela época, pelo menos os pobres não eram explorados com impostos arroxados, mas também não tinham direito à saneamento, saúde, segurança e educação, diferente de hoje. Não temos nada disso, mas sustentamos incessantemente a corja que administra este país. Ou seja, voltamos à 1808. Se esse governo sair do poder, e faço votos que saia, será igual também ao retorno de D. João VI a Portugal. O Banco do Brasil, fundado por ele foi desfalcado e ficou falido. Acontecerá o mesmo nessa nossa época. Que país ficará para as próximas gerações? Estamos fazendo curso de como ser uma Venezuela e estamos passando com louvor!!!



    adeilton de farias almeida disse:
    8 de outubro de 2014 às 10:56

    eu concordo com o texto, mas deveria ser comentado tambem, a divida interna brasileira, uma parcela bem alta dos nossos impostos vai para essa divida, e eu não vejo ninguem falar nisso, uma divida que desdo governo de do Fernando Henrrique até o da Dilma, ja foi pago 9 trilhões de dolares, e atualmente, estamos devendo tres trilhõs de doleres, ou seja, uma divida que pagamos e continua crescendo sem parar, pelo fato dos E.U.A controla a taxa de juros, então acima dos politicos corruptos , estão os grandes bancarios americanos e os donos das grandes industria multinacionais, e ninguem fala sobre eles, que são os que recebem a maior parte dos nossos impostos……isso significa uma ditadura empresarial, e a arma mais forte deles é a manipulação de massa, invadindo nosso inconciente ……



    antonio disse:
    7 de novembro de 2014 às 22:09

    A questão é que a maioria dos brasileiros pensam que o governo deve ser o provedor. Mas Não se dão conta que quem paga a conta são eles mesmos. A verdade é que nossos governantes , com raras exceções, não são gestores e tampouco estadistas. São políticos de olho na próxima eleição. Sabem direitinho qual o pensamento prevalente do brasileiro. Então da-lhe populismo, e incha-se o estado.Sou totalmente contra o estado brasileiro como gestor. Sei que isso nunca terá conserto. Para mim, quanto menor o estado , melhor.



    Diego disse:
    15 de dezembro de 2014 às 14:18

    Minha sugestão é que a populacao e/ou empresas se unirem e deixar de pagar impostos (ou pagar em juizo) até que o governo se mostre serio na gestao do nosso dinheiro.

    Isso vai criar o senso de urgencia para que eles tomem a serio o que a populacao fala e precisa.



    16 de dezembro de 2014 às 17:55

    Eu acho se no Brasil diminuísse a corrupção com certeza as coisas seriam mitos diferentes .

    A maioria dos Brasileiros vivem hoje de esmola isso é fato, é só observar a fila de desemprego e a fila de Bolsa escola qual você acha que é a maior

    Alguém tem de pagar isso.



    Joao disse:
    19 de dezembro de 2014 às 14:03

    O dinheiro vai pro bolso dos políticos ladrões!

    É uma grande tristeza ver a população largada, sem educação, saúde, transporte e cultura! Uma vergonha.



    Paulo disse:
    22 de dezembro de 2014 às 0:59

    Olá Ricardo,

    Parabéns Pelo Artigo. Infelizmente os impostos vão para o bolso dos políticos.

    O Brasileiro não vê o retorno desses impostos na área da educação, transporte,segurança, etc. É uma vergonha!



    Fabiao Vasconcelos disse:
    27 de dezembro de 2014 às 19:31

    Ricardo ,não sei porque vc não menciona o que pra mim é o maior problema do Brasil. No que mais interessa ao País o governo só investe cerca de 10,36% da arrecadação e cerca de 45% vai para amortizar e pagar juros da dívida.veja o exemplo de 2011:Vejamos em 2011 como a nossa receita foi distribuída:
    Amortização da dívida e pagamento de juros: 43,8% da receita
    Saúde: 4,17% da receita
    Educação: 3,34% da receita
    Trabalho: 2,42%
    Ciência e Tecnologia: 0,34% da receita.
    Cultura: 0,05% da receita
    Saneamento: 0,04%
    Ou seja, tudo aquilo que é essencial ao povo brasileiro representou APENAS 10,36% do dinheiro aplicado pelo governo, sendo que foi aplicado QUATRO VEZES mais só para beneficiar banqueiros e pagar dívidas.
    Lula pagou alguma coisa, ou nos colocou no caminho da falência financeira e social?



    Fabiao Vasconcelos disse:
    27 de dezembro de 2014 às 19:44

    Acorda Brasil .A dívida interna é o maior problema do Brasil.Ricardo ,porque se paga cerca de 200 bilhões de reais de juros da dívida e o total consumido pela mesma dívida foi de 910 bilhões de reais em 2014 ,presumo que cerca de 700 bilhões foram pagos em amortização,e porque o montante da dívida não se reduz? Isto está parecendo um saco sem fundo e uma enorme expropriação do povo brasileiro



    Fabiao Vasconcelos disse:
    27 de dezembro de 2014 às 19:54

    Precisamos saber se esta dívida interna é legítima O equador fez uma auditagem de sua dívida e concluiu que 70% eram ilegítimos.O mais urgente pra nós é fazer uma auditagem desta escandalosa dívida que já suga cerca de um trilhão do imposto arrecadado.Em 2014 foram pagos quase um trilhão foram 910 bilhões , não sobra quase nada .Que futuro temos? trabalhar pra dívida.Até quando?



    Cristina disse:
    31 de dezembro de 2014 às 11:04

    dinheiro entra e bastante nos cofres publicos, mas infelizmente, a grande parte é desviada.



    Marcus disse:
    31 de dezembro de 2014 às 19:31

    É muito triste quando comparamos nossa realidade com a de outros países mais desenvolvidos. É muita discrepância!



    3 de janeiro de 2015 às 16:20

    Lamentável. Sempre esperamos que os impostos sejam usados devidamente para o bem da população, hoje isso está bem distante da realidade.



    Aglaer Bezerra de Araújo disse:
    21 de janeiro de 2015 às 21:36

    Ser pobre custa caro…muito caro!
    O preço, muitas vezes, é pago com a própria vida, por falta de hospitais estruturados e decentes ou por falta de segurança total.



    Aglaer Bezerra de Araújo disse:
    21 de janeiro de 2015 às 21:38

    Ser pobre custa caro…muito caro!
    O preço, muitas vezes, é pago com a própria vida, por falta de hospitais estruturados e decentes ou por total falta de segurança.



    30 de janeiro de 2015 às 14:20

    Conteúdo rico em informações e de extrema qualidade, dá simplesmente gosto de ler, parabéns.



    Julio disse:
    2 de fevereiro de 2015 às 9:43

    O sistema tributário no Brasil é um dos mais complexos do mundo e a divisão equitativa deles aqui, não existe.
    O Governo deveria investir mais nas necessidades básicas da população.



    Antonio Valdir disse:
    4 de fevereiro de 2015 às 8:34

    Desde que o homem deixou de ser nômade, acredito que foi vislumbrada a ideia da exploração, ou seja, os mais fortes mais espertos se apropriarem do trabalho do outro, hoje aqui no Brasil esta ideia foi aprimorada e se tornou sofisticada num esquema perverso, injusto formado por uma teia burocrática difícil de ser desmontada, pois o sistema foi corrompendo de cima para baixo ate tornar-se geral. A grosso modo posso dizer que alguns incompetentes e mal intencionados políticos eleitos por outros ignorantes e acomodados, detém a formula maldosa da exploração do homem pelo homem, deixando iminente que vivemos atualmente numa equação perigosa, o produtor paga a conta da corrupção e da preguiça, ficando cada vez mais apertado para ele, produtor, até quando? acredito que até breve, pois o arrocho está chegando no limite. Infelizmente o desfecho é radical nestes casos, pois o limite da razão e do concerto natural foi há muito ultrapassado.



    Adrielly disse:
    12 de fevereiro de 2015 às 8:40

    É impressionante como tudo aqui tem de ser pago. Paga-se por tudo que deveria ser dado de “graça”. Na verdade os impostos deveriam voltar para população em benefícios. O que a gente vê é apenas que são beneficiados é o próprio pessoal do governo , isso é uma vergonha.



    marcos disse:
    18 de fevereiro de 2015 às 7:30

    Amorim, a elite brasileira sempre foi predadora independente de bandeira partidária. Os Negros fizeram a riqueza desse pais e foram jogados a beira doas rios e nos morros cariocas. Está na hora de buscarmos o que é nosso e esse dia está próximo. Chegou a hora da turma do Conselheiro e quilombolas acertarem as contas com a elite. Que o Haiti seja aqui.



    Marquinhos disse:
    4 de março de 2015 às 23:46

    Trabalhar as dificuldades ajudaria em grandes proporções o aumento da qualidade de vida e principalmente da qualidade da economia do Brasil.



    Anna disse:
    6 de março de 2015 às 16:11

    A dificuldade em solucionar os problemas econômicos em nosso Brasil é a péssima qualidade das escolas e do ensino. Com boa educação poderíamos criar sistemas mais elevados para sistematizar o governo.



    Bruno Silva disse:
    29 de março de 2015 às 2:21

    É uma vergonha pagar tanto imposto num país rico como o nosso e ainda ter que pagar por escolas particulares, planos de saúde, etc, porque o Governo não aplica o dinheiro dos impostos corretamente, só serve para enriquecer os bolsos dos corruptos.



    Paulo disse:
    31 de março de 2015 às 21:46

    A dívida interna é o maior problema do Brasil. Lamentável!



    Empreendedor disse:
    1 de abril de 2015 às 19:12

    Você mostrou dados nada agradáveis sobre a condição do Pais.
    Fico indignado com esses impostos exorbitantes que temos de pagar sem que esse dinheiro volte para os trabalhadores. Não gosto nada dessa expressão “gasto pela própria máquina pública”.

    Abraço.



    Alves disse:
    4 de abril de 2015 às 11:27

    Ricardo, artigos assim que muitos devem ler, muito esclarecedor!

    Infelizmente como muitos disse a cima, dá vontade de sair do pais, mas ao invés disso, se cada um fazer uma pequena parte que seja, podemos melhor nosso pais.

    Sair do pais seria pensar apenas no próprio umbigo. Ajudar as outras pessoas a pensar diferente, será mais difícil, porém seria mais humanitário.



    Marcos Maçaiola disse:
    9 de abril de 2015 às 2:46

    Sabe aquela afirmação: “de que nada está tão ruim que ainda não possa piorar!” Vocês vão ver quando começar a CPI do BNDES ai vamos entender o escândalo e a confirmação do porque nada caminha direito neste país, pois nossos governantes encontraram um jeito de ficar milionários enviando dinheiro para fora do país através de empréstimos do banco brasileiro BNDES para obras super faturadas em Cuba, Colômbia, Venesuela, Uruguai, Paraguai, Argentina etc. Assim gastão a metade para executá-la e a outra metade é lucro depositado em contas no exterior ou seja dinheiro sujo passando a ser legalizado ou limpo e estamos falando de bilhões muitos bilhões de dólares ao ponto do lava jato ser apenas uma migalha frente ao BNDES. O país que mais cobra impostos no mundo não consegue sequer sair da miséria, era para sermos uma nação rica de primeiro mundo na América latina, temos dinheiro, trabalhadores e terras para isso mas no entanto não temos e nunca tivemos políticos honestos desde nosso descobrimento quando nossos irmãos portugueses, ofereceu pentes, espelhos, bebidas etc aos nossos índios em troca de ouro, prata, pau brasil etc. Até nossos índios se corromperam cobrando pedágios clandestinos para andarmos em nosso próprio território nas regiões do Acre, Amazônia, Mato Grosso etc. Desde cedo nossas crianças aprendem a barganhar, nossos colegas falam mau, cobrando respeito dos outros, mas andam pelos acostamentos das estradas para cortar caminho, e furando fila por todo lugar. Desrespeito total misturado com falta de educação e praticando a lei de Gérson para levar vantagem própria. Egoísmo, mentiras, inverdades e cobiça já fazem parte da índole do brasileiro e o que se chama pecado, no Brasil já se tornou iniquidade a muitas décadas, isso já faz parte do DNA brasileiro e o povo vê e não faz nada, já acostumado com a desgraça da corrupção nada funciona aqui nem saúde, nem educação, instituições financeiras e até os correios que sempre foi aclamado como uma instituição modelo, perderam sua credibilidade e para piorar nossas leis são ultrapassadas ao extremo, ao ponto do certo se tornar errado e o errado se tornar certo “inversão de valores” as únicas leis que são aprovadas são os aumentos de impostos aumento de seus próprios salários, lei do aborto e a destruição da instituição família. E para mostrar que o nossos governantes estão perdendo o controle total, agora a presidenta passou o comando de articulação do governo nas mãos do PMDB, ou seja: Senado PMDB, Camara dos deputados PMDB e articulação do governo PMDB, simplesmente o governo perdeu o comando, temos dois partidos que estão se confrontando um contra o outro brigando pelo mesmo poder. Absurdos como este acontecendo debaixo de nosso nariz e ninguém fala nada. A Bíblia já diz reino dividido não prevalece. Este sempre foi um dos vários problemas e motivo pelo qual nunca iremos caminhar para um país melhor. Que Deus tenha misericórdia deste povo que também é culpado pelas barbaridades que apoia e pelos políticos que elegem…



    Ricardo Ferigno disse:
    12 de abril de 2015 às 9:36

    Ricardo, tenho acompanhado seus posts e você faz uma crítica contundente ao governo Dilma e à carga tributária e a contrapartida de serviços públicos. Porque somente agora essa ênfase toda em cima do atual governo? Essa questão é antiga, muito mais antiga que o período do governo do PT, ela vem desde a época em que, aliado a este problema, tínhamos uma massa enorme de famintos e uma mortalidade infantil vergonhosa, no entanto naquela época nem a mídia e nem a classe média e rica falavam tanto destes assuntos como hoje, será que é porque hoje estes mesmos grupos estão sendo os mais afetados? Eu não defendo corrupção mas sei que se tudo que já se roubou viesse à tona esse período de hoje seria “fichinha” pois o problema de antes é que não se explorava nem era público. Acho que precisamos ser mais cautelosos, principalmente os agentes da mídia, em fazer apologia ao impeachment, em defender rupturas, etc.



    Romeu Meirelles disse:
    13 de abril de 2015 às 11:22

    Ricardo, sou seu telespectador e gosto de muita coisa que você fala. No entanto, nesse caso, sou forçado a discordar. O maior gasto do governo, quase 50% da arrecadação, vai para pagamento de juros e renegociação da dívida pública. Usar juros para conter a inflação é um péssimo negócio e tem um custo altíssimo. É preciso ter a coragem intelectual de enfrentar essa questão. Há inúmeras saídas racionais para desarmar esse círculo vicioso. Se quiser podemos debater isso com mais profundidade.



    Apartamentos disse:
    13 de abril de 2015 às 22:24

    O maior problema seja administrativo e geral é como ele é governado, infelizmente não aprendemos a votar ainda…



    Nedyr G. Braga disse:
    22 de abril de 2015 às 22:34

    Temos que formar cidadãos mais críticos, que analisem os fatos. Não saiam às ruas como massa de manobra, sem consciência do que está acontecendo realmente no país. São levados, às vezes, por políticos inescrupulosos. A corrupção vem de longe. Vamos pensar mais antes de votar.



    Carmem Lima disse:
    23 de abril de 2015 às 18:09

    Os 3 Podres Poderes estão contaminados.
    O Congresso Nacional já não representa os anseios da população brasileira e tão pouco “trabalha” “para o povo, pelo podo e nem é mais do povo.”
    A desmoralização e corrupção se tornou uma praga que desmoraliza todo cidadão lá fora e aqui dentro.
    Tudo e todos estão contaminados nas maiores e nas menores enganações.
    A propaganda enganosa fala que tudo está ótimo, mas só serve para gerar caixa 2ª.
    Ando indignada e o pior que não vejo luz no fim do túnel sem que o povo vá as Ruas reivindicar seus direitos, sem manipulações de quem quer que seja. Quem seria os candidatos?
    Os ditos “Doutores” e “intelectuais” ou se omitem, ou “fazem a cabeça” dos sem cabeça e sem educação… sim pois a nossa educação é uma piada e já não se ensina o senso crítico, especialmente nas Universidades. O pouco que vi por lá foi indução, ameaça velada, imposição do medo, etc.



    Josino Alves disse:
    27 de abril de 2015 às 18:42

    É ótimo saber que ainda existem muitas pessoas que pensam fora da caixa. Pessoas que não saem à rua somente para gritar coisas sem fundamento.

    Parabéns pelo trabalho Ricardo.



    Ricardo disse:
    29 de abril de 2015 às 14:48

    Olá Ricardo. Sua explanação é perfeita, não podia ser mais explicita.Mas ela nos remete a três questionamentos”o primeiro é sobre a qualidade dos políticos que estamos elegendo, o retorno por si só é esclarecedor, o segundo diz respeito ao exercício da cidadania, isto da mais trabalho que ir no futebol, ficar na fila sob o sol por duas horas, ver um parente próximo assassinado por torcidas incandescidas, que saíram da arena frustrados. cobrar resultado do politico quando aceita beber uma cervejinha paga pelo político, e trata o larapio como Doutô. O terceiro é saber da negociata que o seu senador aceitou para destruir o principio federativo, para Brasilia, cheia do poder dos nossos impostos, fazer verdadeiras negociatas imorais indecentes por apoio politico e legal, deixando a senhora da Justiça envergonhada. Depois ouvir o cidadão freneticamente reivindicar intervenção militar, e escutar os governistas falarem em golpe contra democracia quando são criticados.
    Isto me remete e fala daquele general Frances que ninguém gosta: O Brasil não é sério!!!



    julio disse:
    29 de abril de 2015 às 22:20

    ótimo artigo! parabéns.



    Curso Hotmart disse:
    3 de maio de 2015 às 23:42

    A verdade é que nossos governantes , com raras exceções, não são gestores e tampouco estadistas.



    Pedro disse:
    10 de maio de 2015 às 16:29

    Excelente conteúdo mostrando a realidade sobre a gestão brasileira



    22 de maio de 2015 às 13:32

    Existem certas coisas que acontecem em nosso vida que paramos e pensamos : por que isso acontece ? quando nossos governantes vão parar de pensar em s´mesmo e realmente fazer acontecer

    Para governar as pessoas deveriam faze concurso, só isso funcionaria de verdade



    Rogério disse:
    15 de junho de 2015 às 11:19

    Muitas dessas informações, muitas vezes, nem passam pelo nosso radar. Obrigado por nos mostrar claramente o caminho que o nosso país vem tomando.



    Carlos disse:
    25 de junho de 2015 às 18:21

    Nosso país não merece esta classe política que não nos representa ….
    Vamos votar e mudar esta Nação !!!!!
    Viva o Brasil !!!



    Marcos Biaggio disse:
    27 de junho de 2015 às 11:56

    Dia desses, quando discutia possibilidades para o ano com um cliente – excelente empreendedor, líder de classe e com opiniões respeitadas – me surpreendi ao ouvi-lo dizendo:

    “Passei 40 anos da minha vida empreendendo, pagando impostos e gerando riqueza para esse país. O que recebi em troca desse governo? Nada. Os encargos empresariais estão maiores, a concorrência estrangeira é uma realidade, a infra estrutura nacional não me ajuda muito…. Estou arrependido de ter passado dificuldades para pagar meus impostos em dia, o governo me deu nada em troca por esse esforço. Meu dinheiro desceu o ralo na forma de corrupção e investimentos mal realizados.”

    O pensamento desse empresário desanimado se justifica?

    Quando empresários hoje estão com sentimentos parecidos?



    Paulo disse:
    28 de junho de 2015 às 11:36

    Hoje esta claro onde esta indo todo esse Dinheiro.
    Petrolão e custear campanha politica com caixa 2.



    ana freire disse:
    30 de junho de 2015 às 17:32

    ótima pergunta Ricardo! Eu mesma gostaria de saber como o nosso país vai continuar como um crescimento tão baixo e com impostos tão caros.



    4 de julho de 2015 às 23:43

    Muito Boa indagação , Nosso país está muito abaixo do crescimento de verdade . Não vejo a hora de siar daqui é sério



    Gabriel disse:
    11 de julho de 2015 às 15:13

    Só faltou dizer para onde vai a maior parte do nosso dinheiro arrecadado em tributos! Qual o maior sanguessuga do nosso orçamento? A dívida pública, a sua história, os beneficiários, os juros abusivos- nada disso ė importante? Algum conflito com seus apoiadores/patrocinadores, será?



    Julia disse:
    13 de julho de 2015 às 23:39

    É triste ver o que acontece na política deste país, isso desanima qualquer um!



    31 de julho de 2015 às 16:53

    Eu fico consternado com a falta de eficiência do nosso estado em empregar bem os nossos impostos.



    4 de agosto de 2015 às 6:36

    Muito triste ver uma situacao desta afetando nosso pais. Corrupcao e burocracia sempre vai fusgitar massas e o povo e que sofre.



    Guto disse:
    10 de agosto de 2015 às 22:06

    Ótimo… muito bom o texto… mas e agora? Qual o proximo passo? O que devemos fazer a partir de agora? Por favor, nao me diga que é votar direito, porque isso é utopia! Qual a saida para esse pais? Será que nao esta hora de tomarmos o controle da politica pública? Temos q mudar a regra do jogo a favor da populacao e nao a favor do jogo partidario e dos politicos. Alguem vê uma forma de realizar esse feito?



    Carlos j disse:
    27 de agosto de 2015 às 14:35

    Que vontade de ir embora deste país, mas vida que segue. Que classe de políticos esculhambados nós temos.



    Jose Sampaio disse:
    4 de setembro de 2015 às 3:03

    Gostei muito do texto embora esteja triste com a situacao atual do pais.



    22 de setembro de 2015 às 17:13

    O Pior de tudo, é que os nossos próprios argumentos são obrigados a ter variações a cada dia, hora ou minutos agora, do jeito que está a economia do Brasil e os impostos, fica impossível ter métricas exatas até de alguma opinião. Prefiro investir meu dinheiro em treinamento e ganhar ´pela internet, aqui por enquanto ninguém nos impede de trabalhar. Sucesso a todos !



    28 de setembro de 2015 às 10:58

    Se a classe política brasileira fosse realmente séria e tivesse boa vontade de contribuir para o crescimento do país, teríamos mais oportunidades para ganhar dinheiro trabalhando por conta própria.



    Marcos disse:
    1 de outubro de 2015 às 0:35

    Ricardo, Suas Palestras são incríveis.
    Recomendo para quem tiver em duvida para assistir, não deixe de ver.



    22 de outubro de 2015 às 17:46

    Hoje, mais do que nunca, nos perguntamos onde foi parar o dinheiro de nossos impostos. E o pior é que sabemos. Má administração e corrupção levaram boa parte do dinheiro.



    Lucas Martins disse:
    22 de outubro de 2015 às 17:48

    Em época de eleições as promessas são lindas. Depois de eleitos é que eles mostram as garras de verdade.



    MARCOS KNOPP disse:
    4 de novembro de 2015 às 8:23

    No Brasil os políticos têm a seguinte convicção: Os políticos pertencem ao BRAZIL e n[os brasileiros ao brasil. Ou seja, para os políticos todas as mordomias e maracutaias possíveis e imagináveis podem ser planejadas e executadas às barbas do eleitorado que tudo acaba em “pizza”. Enquanto que o brasileiro, homem de bem, povo trabalhador à cada dia menos direitos, a cada dia mais impostos, a cada dia mais manobras dos políticos com o objetivo de esquivarem=se da imposição da Lei. Me faz lembrar o que ocorreu em data recente: A Câmara dos Deputados, por um de seus membros, apresentou Projeto de Lei com o objetivo de modificar a CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA visando usurpar a prerrogativa do MINISTÉRIO PUBLICO de investigar os atos ilícitos praticados pelo políticos. Esse Projeto de Lei só não foi aprovado em razão de o povo ter tomado conhecimento à tempo e ter posto “A BOCA NO TRAMBONE”. Caso fosse aprovado esse Projeto de Lei” o BRAZIL dos POLITICOS se tornaria a fazenda que todo o POLITICO quer o brasil dos brasileiros trabalhadores se tornaria cada vez mais pobre. A solução para isso: É preciso dar acesso aos brasileiros trabalhadores as escolas publicas de qualidade, às universidades públicas de qualidade, é preciso dar acesso aos trabalhadores de melhor qualidade dos alimentos com menor TRIBUTAÇÃO, melhor condição de moradia, etc…tudo isso é possível á partir do momento em que as mamatas dos políticos sejam cortadas e esses bilhões de reais convertidos em benefícios á todos nos brasileiros.



    13 de novembro de 2015 às 20:51

    O maior complicador é a “teia” que eles fazem, pois agora esta aparecendo uma grande empresa de contact center que também tinha como um dos socios uma empresa construtora, ou seja, uma empresa grande que nada mais serve para “servir” aos interesses exclusivos dos “politicos” brasileiros.



    Julia Pecanha disse:
    13 de novembro de 2015 às 21:10

    Veja bem, nesse momento a coisa esta tão complicada no Brasil, que não há melhor nem pior, todos que entrarem irão realizar as mesmas manobras. O pior que sempre quem paga são os mesmos, os pobres.



    Sergio disse:
    14 de novembro de 2015 às 13:44

    Ricardo, muito bom. É uma grande pena que o povo tem a memória fraca e logo se esquece desses politicos que so estão ai para fazerem as mesmas coisas de sempre, ou seja, desviar…



    21 de novembro de 2015 às 13:06

    A verdade é que o Brasil está indo de mal a pior. Ao meu ver só vai piorar cada vez mais com os governantes que estão no Poder. O Brasil precisa ser colonizado novamente.



    Anderson disse:
    8 de dezembro de 2015 às 13:13

    Como um Colega falou em um comentário, é uma pena que a maior parte dos eleitores não vão ler esse Artigo. A pura realidade que pagamos impostos e não temos o básico, Saúde precária,transporte precário, educação não precisa nem falar sobre isso. Você compra um lápis você paga imposto, comida,um cinema, ipva de carro.A lista de impostos é enorme.



    9 de dezembro de 2015 às 6:38

    Alguém aponta pra mim a direção do Oceano por favor!!



    Antonio disse:
    24 de dezembro de 2015 às 2:28

    Tenho o mais puro sentimento de que estamos regredindo como nação, este artigo só fortalece este pensamento. Onde vamos parar? Chega a ser atormentador só de pensar que 4 meses do nosso salário é utilizado apenas para pagar impostos mas como já foi citado, não temos nem o básico… Triste muito triste.



    Paulo Ricardo disse:
    24 de dezembro de 2015 às 16:37

    Sem comentários e pode passar varios e varios anos, mas “infelizmente” o post vai continuar como sendo escrito para os dias de hoje.
    Excelente trabalho.



    Jorge Moreno disse:
    30 de dezembro de 2015 às 15:46

    Enquanto isso estamos presos neste sistema imbecil do governo Brasileiro.. Um impecheman seria um bom começo !



    Eliana Maria disse:
    30 de dezembro de 2015 às 20:41

    Hoje 30 de dezembro de 2015 o impostometro bateu novo recorde, nos trabalhamos 5 meses para pagar somente impostos. Que venha 2016 e tomara que essa pergunta, possa enfim ser respondida.



    3 de janeiro de 2016 às 21:55

    É ótimo saber que ainda existem muitas pessoas que pensam fora da caixa. Pessoas que não saem à rua somente para gritar coisas sem fundamento.
    Parabéns pelo trabalho Ricardo



    7 de janeiro de 2016 às 17:29

    É meu amigo e quando pensamos que não pode piorar, vem outros e outros roubos de deixar qualquer um de boca aberta.



    Mariana Gomes disse:
    7 de janeiro de 2016 às 17:34

    Otimo artigo, porem infelizmente muito atual.



    7 de janeiro de 2016 às 19:16

    Ricardo,

    Se a Italia conseguiu se livrar da Máfia, porque o Brasil também nao pode. Vamos TORCER.



    9 de janeiro de 2016 às 18:30

    O Sistema que eles “armaram” é quase que infalivel.



    Sonia Lima disse:
    9 de janeiro de 2016 às 18:35

    O Grande problema é que o dinheiro entra e entra bastante, mas infelizmente a grande parte é desviada e isso em todos os órgãos publicos.



    Anderson disse:
    10 de janeiro de 2016 às 18:30

    Infelizmente o sistema é falho e a sociedade se vende por trocado e finge não ver a corrupção no sistema.



    10 de janeiro de 2016 às 21:51

    Acredito que a maior verdade é que o nosso Brasil está mal e o pior. o Povo tem bastante culpa nisso, pois a maioria dos grandes corruptos tem uma votação altissima.



    10 de janeiro de 2016 às 22:11

    Estamos em 2016 o post foi publicado em 03/2014 e nada mudou?



    10 de janeiro de 2016 às 22:14

    Acredito que teremos um novo recorde no impostometro de 2016. É so aguardar…



    11 de janeiro de 2016 às 19:24

    Ricardo, post eterno (infelizmente).

    Parabens pelo trabalho.



    12 de janeiro de 2016 às 19:08

    O dinheiro vai para bolso dos políticos ladrões! Como foram eleitos pelo povo, ninguem tira eles de lá.



    13 de janeiro de 2016 às 9:59

    Parece ate que o Brasil foi criado para isso, só ter roubos e repasse de dinheiro…



    14 de janeiro de 2016 às 23:18

    o complicado é isso!!! Então, deve estar sendo investido em pesquisa, desenvolvimento, inovação, produtividade e competitividade? Não parece. Estamos em 112º em número de cientistas e engenheiros em relação ao tamanho da população, 136º em qualidade de ensino de matemática e ciências, e 145º em total de exportações em relação ao tamanho da economia.



    15 de janeiro de 2016 às 23:00

    Quando se trata de conteúdo que abre a visão, o seus se enquadra perfeitamente na mente dos leitores natos!
    Parabéns.



    22 de janeiro de 2016 às 13:48

    Excelente e atual, pois o Brasil continua o mesmo ou pior do que 2014 quando o artigo foi criado.



    22 de janeiro de 2016 às 19:33

    Essas Ricardo, ler uma coluna dessa dá vontade de ir embora deste país, mas vida que segue. Que classe de políticos esculhambados nós temos.

    Fico triste com isso gosto do Brasil não quero ir embora quero que melhore para que meus filhos vivam melhor



    Paulo Souza disse:
    23 de janeiro de 2016 às 8:17

    Ricardo, simplesmente fantastico. Voce sabe o que diz e diz com propriedade. Parabens.



    Simao blouer disse:
    25 de janeiro de 2016 às 6:36

    the Brazil is sick…



    Paulo Barbosa disse:
    25 de janeiro de 2016 às 7:54

    Esta no bolso dos politicos…



    Joana Amaral disse:
    25 de janeiro de 2016 às 10:10

    Ricardo, esta complicado. o Brasil virou um pais sem ORDEM. Todos os politicos fazem o que quer, sem ter que dar nenhum tipo de satisfação e o pior, apoiados porque foram eleitos pelo POVO.



    Silvio disse:
    25 de janeiro de 2016 às 23:27

    Muito bom, parabens!



    26 de janeiro de 2016 às 8:16

    Conteúdo altamente profundo, nos faz pensar. Joia…



    Cinthia Quely disse:
    28 de janeiro de 2016 às 8:19

    É meu amigo, essa pergunta que todos os brasileiros que pagam impostos se fazem todos os dias.



    Cinthia Quely disse:
    29 de janeiro de 2016 às 8:34

    Estamos enfrentando a pior crise dos ultimos tempos, 2016 vai ser complicado, la vem novamente a CPMF e o dinheiro dos nossos impostos… certamente alguem esta levando a jato.



    30 de janeiro de 2016 às 6:53

    Todos nós temos que aprender com os erros e parar de votar tão errado como estamos votando.



    Joao Paulo disse:
    31 de janeiro de 2016 às 7:36

    Tenho certeza que no bolso da população nao esta.



    Pedro disse:
    3 de fevereiro de 2016 às 10:26

    É lamentável o rumo que esta tomando o nosso Brasil, o que fazer?



    Raquel Edgar disse:
    4 de fevereiro de 2016 às 13:43

    Vamos aguardar as proximas eleiçoes e ver se tambem o povo brasileiro contribui.



    Romero disse:
    11 de fevereiro de 2016 às 17:00

    Ricardo, nota 1000 para o seu lindo artigo.



    Jose Abreu disse:
    14 de fevereiro de 2016 às 9:55

    Ricardo, voce é muito bom no que faz, este artigo é muito bom mesmo. Parabens!



    Barbara disse:
    16 de fevereiro de 2016 às 21:20

    Como disse o amigo acima, é lamentavel e agora ha uma migração, cada vez mais politicos malandros estao procurando prefeituras distantes para aplicarem seus golpes.



    25 de fevereiro de 2016 às 13:33

    Infelizmente o nosso pais parece realmente que foi criado somente para lavagem de dinheiro.



    Mariana disse:
    27 de fevereiro de 2016 às 14:47

    Esperamos tanto tempo para o Lula ser eleito e ele e o PT acabaram com o Brasil.



    Mariana disse:
    29 de fevereiro de 2016 às 21:30

    Dinheiro tem muito, mas o que falta nos hospitais, nas escolas e outros locais fundamentais para o povo, esta com certeza em bancos nos paraísos fiscais.



    Julia Mara disse:
    1 de março de 2016 às 13:16

    Estão chegando as olimpiadas, pois ja estamos em Março de 2016. Com toda certeza muita grana ainda vai ser desvida para finalizar as obras e depois desse grande evento, vamos ver como ficará o Brasil e principalmente o Rio de Janeiro que hoje esta bastante complidado, com falta de emprego e crise no estado.



    Lucas disse:
    7 de março de 2016 às 16:37

    Com certeza o dinheiro está em paraísos fiscais como disse nossa amiga Mariana!!!!



    11 de março de 2016 às 16:54

    Verdade! Como o texto é atual. Seria interessante o próximo governo observar suas considerações…



    16 de março de 2016 às 18:13

    Com certeza esse dinheiro esta em paraísos fiscais.. sem nosso conhecimento..



    27 de março de 2016 às 16:18

    A gestão brasileira é realmente uma vergonha! Qualquer um entra e faz o que quiser. No minimo essa instituição deveria mudar o modo como são eleitos. No minimo um grau de estudos elevados para segmentar melhor essa porcariada toda ai!



    Bruno silva disse:
    10 de abril de 2016 às 8:22

    Excelente texto ricardo amorim, deveria ser compartilhado entre mais pessoas para que pensassem muito bem antes de votar…abç



    10 de abril de 2016 às 11:40

    Muito bom o texto, pena que nem todos pensam da mesma forma. compartilhando em 3,2,1.



    Wilker Costa disse:
    15 de abril de 2016 às 12:46

    Realmente a nossa realidade é triste, e a tendência é piorar.



    Lucas disse:
    18 de abril de 2016 às 19:34

    ótimo artigo Ricardo Amorim, agora vamos ver se o impeachment irá para frente, esperamos que sim por um país melhor.



    20 de abril de 2016 às 20:39

    Muito bomba Ricardo, nosso país está em uma situação complicada. Muitos Brasileiros querem sair do país.



    23 de abril de 2016 às 23:11

    Aaah se todos se tivessem uma visão como a sua…



    4 de maio de 2016 às 21:11

    Para que mais pessoas neste brasil de corrupção leiam esse excelente texto. boa ricardo.



    Felipe disse:
    9 de maio de 2016 às 0:43

    também gostaria de saber aonde esse montante de dinheiro se encontra, não vejo melhorar nada na educação, saúde entre outras coisas.



    Ana disse:
    16 de maio de 2016 às 15:35

    Está com a mãe Dilma.



    22 de maio de 2016 às 4:05

    Será que o PT levou tudo?



Deixe seu comentário

Acompanhe Ricardo Amorim na mídia
Istoe

Artigos do Ricardo Amorim
/ LEIA

Manhattan Connection

Desde 2003, Ricardo é apresentador do Manhattan Connection, atualmente no canal Globo News
/ VEJA

Radio Eldorado

A economia pode ser um agente poderoso de transformação
/ CURTA


Opinião de Ricardo Amorim - Economista Independente