Feeds Ricardo Amorim Facebook Ricardo Amorim Twitter Ricardo Amorim Linkedin Ricardo Amorim Youtube Ricardo Amorim

“Economista Ricardo Amorim alerta que não há dinheiro para resgatar todo mundo na Europa”

postado em Entrevistas


Estadão

14/02/2011

Por Leandro Modé
 

”Não há dinheiro para resgatar todo mundo”

A crise europeia está longe de ser resolvida e é o maior empecilho para que os mercados desenvolvidos mantenham desempenho superior ao dos emergentes. A avaliação é do economista Ricardo Amorim. Após trabalhar em vários bancos internacionais, em São Paulo e em Nova York, ele voltou ao Brasil pouco antes do estouro da crise econômica nos Estados Unidos. Hoje, está à frente da Ricam Consultoria.

‘Temo que os efeitos da crise europeia para a economia mundial sejam piores do que o impacto da crise americana’, diz. Para Amorim, os países europeus apenas ganharam tempo com os pacotes que socorreram a Grécia e a Irlanda. Uma solução efetiva ainda está distante, diz.

O argumento é o de que não há recursos suficientes para salvar países que ainda enfrentarão problemas em decorrência da situação fiscal delicada: Portugal, Espanha, Itália e Bélgica. ‘Não existe dinheiro para resgatar todo mundo’, argumenta Amorim.

Segundo ele, há três saídas possíveis: 1) calote generalizado, com efeitos imprevisíveis para o mundo; 2) impressão de dinheiro pelo Banco Central Europeu (BCE), a exemplo do que tem feito seu par americano (o Fed), com inevitável disparada da inflação; 3) resgate pelos emergentes, atualmente únicos com dinheiro suficiente para sanar problema dessa magnitude.

Essa última solução envolveria como contrapartida o controle do Fundo Monetário Internacional (FMI) por esses países, um caminho politicamente complicado. Em resumo, uma grave crise na região é inevitável.





Deixe seu comentário