Feeds Ricardo Amorim Facebook Ricardo Amorim Twitter Ricardo Amorim Linkedin Ricardo Amorim Youtube Ricardo Amorim

Palestra sobre perspectivas para o setor de saúde após as eleições realça oportunidades e riscos.

postado em Palestras


 
25/11/2010
 
O Brasil pós-eleições
Um país “condenado a dar certo”. Assim o economista Ricardo Amorim, primeiro palestrante do 5º Encontro de Cooperados, definiu o Brasil, lembrando que registraremos o 3º maior crescimento mundial já em 2010.
Para ele, a presidente eleita Dilma Rousseff está recebendo uma “herança bendita” do mundo. “O Brasil vai crescer a taxas anuais de cerca de 5% nos próximos anos, mesmo que não resolva os seus problemas. Para dar errado, não basta ao Brasil cometer os erros de sempre. Teríamos que cometer novos erros”, afirmou.
Amorim defendeu que os grandes beneficiados pelo contexto econômico atual são os países emergentes, em especial China, Índia e Brasil. Além do grande volume de mão de obra, o Brasil ocupa lugar de destaque na economia mundial por ser rico nos dois tipos de commodities de maior consumo no mundo – alimentos e combustíveis (seja petróleo ou biocombustível).
Ao falar sobre o mercado de saúde, Amorim também aposta no crescimento. O economista lembrou que os países que mais crescem ainda são os que menos gastam com saúde. Segundo ele, mesmo os laboratórios terão que mudar sua estratégia, dedicando-se mais a desenvolver e produzir medicamentos voltados para os problemas típicos dos países emergentes.
Amorim apontou que EUA e Europa não são mais fontes de solidez da economia mundial. “O eixo de crescimento está nos países como China e índia. Os emergentes é que estão mandando no mundo. As crises do primeiro mundo nem sequer fazem marolinhas mais no Brasil”, disse, referindo-se à declaração do presidente Lula no início da crise econômica mundial.
“Continuaremos a assistir a crises nos países ricos, o dólar continuará em queda e veremos, cada vez mais, o recuo de juros ao consumidor. A terra da oportunidade é aqui e não lá”, resumiu.
Ricardo Amorim é economista formado pela USP, com pós-graduação em Administração e Finanças Internacionais pela Escola Superior de Ciências Econômicas e Comerciais (ESSEC) de Paris. Atuando no mercado financeiro desde 1992, trabalhou em Nova York, Paris e São Paulo, sempre como economista e estrategista de investimentos. Ricardo Amorim é debatedor do programa Manhattan Connection, da GNT, e colunista na revista IstoÉ.

Confira a cobertura completa do evento e comentários sobre a palestra.





    27 de junho de 2017 às 17:13

    Um tema polêmico, sempre foi…



Deixe seu comentário