Feeds Ricardo Amorim Facebook Ricardo Amorim Twitter Ricardo Amorim Linkedin Ricardo Amorim Youtube Ricardo Amorim

Por que a produtividade do trabalhador brasileiro é tão baixa? #RicardoResponde

postado em #RicardoResponde


A razão mais óbvia é a melhor qualidade da educação nos países desenvolvidos, como os Estados Unidos, por exemplo. Mas tão importante quanto é o fato de o trabalhador americano estar muito melhor equipado que o brasileiro. Para executar seu trabalho, ele conta com uma série de ferramentas, máquinas, software e hardware que o brasileiro não conta. Mal comparando, um agricultor, com um trator, produz mais do que 5 vezes mais do que 5 trabalhadores, cada um deles com uma enxada. Precisamos automatizar e mecanizar a economia brasileira, mas isto tem de acontecer em paralelo a um aumento da qualificação da mão de obra. Voltando ao meu exemplo, não basta apenas comprar um trator para um dos 5 trabalhadores que mencionei, se ele não souber usar o trator.





    Charles Nankin disse:
    13 de maio de 2015 às 20:35

    Nossa economia é mais fechado que a do Cuba e Corea do Norte (em termos de importaçoes como % do PIB).

    Ou seja, parece que pensamos que nos mesmos consegiremos produzir todo tipo e cada peça de tecnologia que precisamos (para atingir este produtividade necessario para competir), e conseguir produzir ele no melhor nivel do mundo (nenhum país no mundo consegue fazer isso).

    Ou seja: brasileiro deve ser macho!!! 🙁



    MARCO disse:
    13 de maio de 2015 às 20:59

    1 trator substitui não apenas 5 trabalhadores, substitui muito mais, basta observar…



    Luciano Robassa Guelfi disse:
    13 de maio de 2015 às 21:22

    Porém, além da falta de hardware e software (este último, educação), há também a falta de vontade política para mudar. O melhor exemplo é o PL proposto por nosso ex-ministro de Ciência e Tec comunista quando era deputado em 1994, que proibia “a adoção, por qualquer órgão público da administração direta e indireta, nos níveis municipal, estadual e federal, de qualquer inovação tecnológica que seja poupadora de mão-de-obra, sem prévia comprovação (…) de que os benefícios sociais auferidos com a implantação suplantem o custo social do desemprego gerado”



    Anne disse:
    14 de maio de 2015 às 16:04

    Ricardo,

    Concordo plenamente com você. Trabalhei por 1 ano e meio em uma empresa de infra nos EUA quando terminei meu mestrado por lá. Quando voltei ao Brasil e me dei conta com os desafios daqui, foi uma dura realidade a se adaptar “de volta” pequenos detalhes como: postura, profissionalismo, cafezinhos intermináveis, reuniões sem decisão alguma, falta de meios de comunicação mais eficazes. E por aí vai.



    Maudy Pedrão disse:
    30 de julho de 2015 às 11:37

    Ricardo,
    Acho que devemos usar mais softwares livres com o objetivo de diminuir nossos custos fixos.
    Sempre devemos ter em mente que existem opções livres e gratuitas.



Deixe seu comentário