Feeds Ricardo Amorim Facebook Ricardo Amorim Twitter Ricardo Amorim Linkedin Ricardo Amorim Youtube Ricardo Amorim

Ricardo Amorim – As Perspectivas Econômicas para 2017 e 2018

postado em Vídeos


08/2017

 

 
 





    Muve disse:
    25 de agosto de 2017 às 3:30

    Resumindo, vai continuar difícil. Só depois das eleições. Ou seja, é esperar até 2019.



    Rubens Mascelani Filho disse:
    28 de agosto de 2017 às 21:48

    Parabéns pela análise da situação política e econômica de nosso pais. Clareza de detalhes e excelente informações. obrigado



    Khadiny Cardoso Ribeiro disse:
    1 de setembro de 2017 às 8:13

    Sou fã do trabalho entusiasta de Ricardo Amorim e faço parte do LIDE PE seria um privilégio ter vc aqui palestrando pra uma gama de Empresários pernambucanos , imagino que exista um valor para trazer embora o Lide não faça contribuição aos palestrantes , e entendo se ainda sim vc não puder vir até porque vc vive de dar sua contribuição pra sociedade através de conhecimento com palestras ,gostaria de saber o valor porque tentaríamos trazer Ainda sim …



    Ricardo Amorim disse:
    8 de setembro de 2017 às 15:33

    Olá, Khadiny. Tudo bem? Aqui é a Aline, tentei falar com você por e-mail e telefone em agosto, mas sem sucesso.
    Por gentileza, pode ver se recebeu e-mails do aline@ricamconsultoria.com.br?



    Júlia disse:
    2 de setembro de 2017 às 18:49

    Muito bom esse conteúdo, continue postando mais. Parabéns.



    3 de dezembro de 2018 às 5:53

    Caro Ricardo.
    Gosto muito de sua participação no Manhattan Connection.
    Mas uma coisa me deixa perplexo. A reforma da previdência. Os economistas falam de deficit na previdência.
    Tudo estaria bem se não houvesse uma CPI (CPI da Previdência) onde ao meu ver, pessoas como auditores da Receita Federal, técnicos dos mais diversos setores negam o deficit.
    Então como ficamos nessa história?
    A proposta da reforma recai nas costas do trabalhadores do setor privado. Sabemos muito bem que o problema é no setor público. Então, porque não mexer apenas naquele setor? Faz sentido para você?
    Um abraço.
    Eduardo



Deixe seu comentário