Matéria sobre palestra de Ricardo Amorim sobre perspectivas econômicas para 2015

11/2014

Correio Popular

 

Centenas de empresários e lideranças da Região Metropolitana de Campinas (RMC) participaram na manhã de quarta-feira (26), em Jaguariúna, do Amcham Regional Meeting, evento que debateu os rumos da economia para o próximo ano e o potencial de investimento da região, sobretudo no eixo da Rodovia Campinas-Mogi Mirim, considerado o maior vetor de crescimento da RMC.

 

As principais atrações do encontro foram uma palestra ministrada pelo economista Ricardo Amorim, um dos mais conceituados do País, e um painel de discussão do qual participaram, além dele, o diretor Comercial da Aeroportos Brasil, Aluízio Margarido, o presidente do Grupo Tamboré, Fábio Penteado, e o diretor financeiro da PPG Industries, Dárcio Moraes.
 
Para Amorim, a região de Campinas é promissora e está em plena expansão, sobretudo pela excelente infraestrutura e o elevado número de empresas de tecnologia, que é um dos segmentos que mais crescem mundialmente.

 

“A região de Campinas se beneficia pelo setor de tecnologia, que é bastante concentrado. A RMC também tem uma infraestrutura espetacular, não há outro lugar no Interior do País com infraestrutura tão boa. E como a logística se tornou muito importante, Campinas acaba se beneficiando”, destacou.

 

Margarido, por sua vez, destacou o grande potencial de crescimento da região, uma das áreas mais ricas e desenvolvidas do Brasil. Ele lembrou os planos de expansão do Aeroporto Internacional de Viracopos e a possibilidade de negócios no entorno do terminal, citando como exemplo o Aeroporto de Schipol, em Amsterdã – um dos melhores da Europa e que comporta escritórios e companhias dentro de seu complexo.

 

“O Aeroporto de Viracopos participou do programa de concessão e foi o mais cobiçado justamente pelo potencial da região e pela quantidade de áreas a serem desenvolvidas. Temos um estudo que mostra que em 2040 teremos quase 85 mil pessoas morando no entorno do aeroporto e 30% trabalhando no terminal. Desenvolvemos um trabalho junto com a Prefeitura e mostramos as necessidades de acesso e rodovias. Viracopos vai ser o aeroporto do futuro. É o que tem as melhores condições meteorológicas do Brasil. É uma cesta de vantagens”, afirmou.
 
Dificuldades

Os empresários não duvidam do potencial de crescimento da Região Metropolitana de Campinas, mas as perspectivas para o ano que vem não são boas, principalmente nos seis primeiros meses.
 
O futuro vai depender da condução da economia no segundo mandato de Dilma Rousseff (PT). Em sua palestra, Amorim apresentou um panorama do momento econômico e apontou alternativas para sair da crise.

 

“O início do ano certamente será difícil, porque parte do que tem que fazer é doloroso: aumento dos juros e aperto fiscal, que passa por aumento de impostos e corte de gastos do governo. São duas medidas recessivas. Mas são necessárias para que os investimentos privados retornem. São esses investimentos que gera emprego, e a recuperação do emprego leva a uma recuperação da confiança do consumidor e do consumo”, disse.

 

Apesar do cenário nebuloso, a gerente geral da Amcham Campinas, Nádia Rabechi, ressaltou que os associados da entidade na região estão otimistas para o próximo ano. “A Amcham faz pesquisas com os associados e, na avaliação deles, 2015 será um ano desafiador e de muito trabalho. Mas existe algum otimismo”.

 
 

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Relacionados