Quem viver verá

01/2016

Por Ricardo Amorim

 

Quem-Viver-Vera-2016-01

 

Virada de ano é hora de balanço do ano que termina, de revigorar-se e se preparar para os anos que vêm por aí. No meu caso, costumo tentar expandir este exercício pessoal também para o que está acontecendo no mundo. No mundo?! Como assim?

 

O mundo e, por consequência, nossas vidas, transforma-se muito mais rapidamente do que nos damos conta. Quando eu comecei a trabalhar, há menos de 25 anos, havia um único computador para toda a área em que eu trabalhava. Internet ou celulares não existiam. Redes sociais e aplicativos? Nem pensar. Imagina como era a vida ou o trabalho? Um pouco diferente da de hoje? Daqui a 25 anos, não será menos diferente. Provavelmente, será mais. O ritmo das transformações tem se acelerado e, com elas, a importância de as compreendermos e nos prepararmos.

 

Com isso em mente, toda virada de ano, eu me pergunto quais as cinco novidades e tendências que surgiram ou se desenvolveram significativamente que mais me chamaram a atenção. Vamos às cinco deste ano:

 

  1. 1. Robótica + inteligência artificial – vão mudar completamente todo o mercado de trabalho nas próximas décadas. Tudo que puder ser automatizado será. As pessoas ficarão com as funções que exigem criatividade e relacionamento. A palavra da próxima década provavelmente será singularidade, o jargão nerd para quando a inteligência artificial superará a humana, o que criará enormes possibilidades e riscos;
  2.  

  3. 2. Realidade virtual – ainda não consigo vislumbrar todas as implicações, mas claramente revolucionará entretenimento e educação e impactará significativamente turismo e comunicação;
  4.  

  5. 3. Barateamento do monitoramento e tratamentos de saúde – vai expandir a expectativa de vida – muitos e muitos dos jovens de hoje passarão dos 100 anos – além de mudar radicalmente o setor de saúde, isto vai impactar o mercado de trabalho (as pessoas terão de trabalhar até mais idade), os governos (os custos de aposentadoria serão muito mais altos – por consequência a aposentadoria terá de acontecer bem mais tarde), o mercado de turismo (a idade média de quem viaja vai aumentar muito);
  6.  

  7. 4. Mudanças das redes sociais – por enquanto, há mais discussões que mudanças. Apesar de trazerem também muita coisa boa, no formato atual, a imensa maioria das redes sociais estimula confronto, boatos, frases de efeito, superficialidade e exibicionismo. Por consequência, muitas redes sociais acabam criando na sociedade uma polarização. Não sei exatamente que formato terão, mas redes que estimulem a discussão de ideias, o aprendizado e a cooperação em busca de melhorias para a vida de todos – como o LinkedIn já faz com relação a aspectos profissionais – surgirão e farão sucesso. Um caminho inicial seria um botão “aprendi algo novo”, ao invés de “curti”;
  8.  

  9. 5. Carros auto-dirigíveis – em menos de uma década, vão tomar conta das ruas e, talvez em uma mais, vão revolucionar o transporte, à medida que estejam todos conectados uns aos outros, reduzindo o tempo de transporte, e liberando o tempo de quem antes dirigia para ler, ou assistir a vídeos. Além disso, eles reduzirão drasticamente a necessidade de infraestrutura, a procura por veículos – sem as pessoas dirigirem, a economia compartilhada ganhará mais um impulso. Acabaremos com menos congestionamentos e necessidade de motoristas profissionais. Os taxistas que estão brigando tanto com o Uber mal esperam o que ainda vem por aí…
  10.  

E para você, quais as cinco novidades que apareceram ou que ganharam massa crítica em 2015 que mais lhe chamaram a atenção?

 

Ricardo Amorim é apresentador do Manhattan Connection da Globonews, presidente da Ricam Consultoria, o brasileiro mais influente no LinkedIn, único brasileiro na lista dos melhores e mais importantes palestrantes mundiais do Speakers Corner e o economista mais influente do Brasil segundo a revista Forbes.

 
 

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Relacionados